Jardim Gabineto, Centro Municipal de Educação Infantil

Localização
Endereço: Rua Padre Francisco Chylaszek, 283
Bairro: CIC
Cep: 81280-030
Regional: CIC
Atendimento: Manhã e tarde
Contato
Diretor (a): Juliana Casagrande Logarini
Telefone: (41)3373-0471
E-mail: cmeijdgabineto@sme.curitiba.pr.gov.br

Projeto Pedagógico - Jardim Gabineto, Centro Municipal de Educação Infantil

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO

NÚCLEO REGIONAL DA EDUCAÇÃO DE SANTA FELICIDADE

CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL JARDIM GABINETO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CURITIBA

2015

ÍNDICE

 

 

1 INTRODUÇÃO.......................................................................................................06

1.1 Identificação....................................................................................................... 06

1.1.1 Nome da Instituição..........................................................................................06

1.1.2 Endereço completo...........................................................................................06

1.1.3 CNPJ................................................................................................................06

1.1.4 Telefone - E-mail...............................................................................................06

1.1.5 Diretor(a)...........................................................................................................06

1.2Caracterização da instituição..............................................................................06

1.3 Caracterização da clientela e da comunidade em que está situada a instituição ....................................................................................................................................07

1.3.1 Condições socioeconômicas, culturais..............................................................08

1.4Organização Do Espaço Físico............................................................................09

1.4.1 Instalações e equipamentos..............................................................................11

1.4.2Acessibilidade....................................................................................................11

1.5 Caracterização Dos Profissionais Da Instituição..................................................11

1.6 Plano de formação continuada.............................................................................13

 

2 OFERTA DA INSTITUIÇÃO....................................................................................13

 

3 REGIME DE FUNCIONAMENTO ..........................................................................14

3.1Períodos................................................................................................................14

3.2 Dias letivos e carga horária anual .......................................................................14

3.3 Frequência...........................................................................................................14

3.4 Organização de grupos e relação professor/criança............................................15

 

4 PRINCÍPIOS FILOSÓFICOS E EDUCACIONAIS .................................................15

4.1Fins e objetivos.....................................................................................................15

4.1.1 Da Educação Infantil.........................................................................................15                      

4.1.2 Da Instituição.....................................................................................................16

4.1.3 Da Gestão do CMEI..........................................................................................17

4.2Concepção pedagógica .......................................................................................18

4.2.1 De criança.........................................................................................................18

4.2.2 De educar e cuidar............................................................................................20

4.2.3 De desenvolvimento..........................................................................................22

4.2.4 De aprendizagem..............................................................................................23

4.3Inclusão................................................................................................................23

4.4 Articulação da instituição com o ensino fundamental..........................................25

4.5 Articulação da instituição com a família...............................................................26

4.6 Articulação da instituição com outros segmentos da sociedade no encaminhamento de questões relativas à educação e ao cuidado com a criança........................................................................................................................26

 

5 PRINCÍPIOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS DA INSTITUIÇÃO...............................27

5.1 Metodologia de trabalho.......................................................................................28

5.2 Avaliação da aprendizagem ................................................................................29

  1. Educação ambiental........................................................................................30
  2. Educação das relações étnicos – raciais.........................................................31

 

6 AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL .............................................................................32

7 BIBLIOGRAFIA.......................................................................................................33

8 ANEXO....................................................................................................................36

8.1 CALENDÁRIO......................................................................................................36

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AS CEM LINGUAGENS DA CRIANÇA

 

Ao contrário, as cem existem.

 

A criança é feita de cem.

A criança tem cem mãos

cem pensamentos

cem modos de pensar

de jogar e de falar.

Cem sempre cem

modos de escutar

as maravilhas de amar.

Cem alegrias

para cantar e compreender.

Cem mundos para descobrir.

Cem mundos para inventar.

Cem mundos para sonhar.

A criança tem cem linguagens

(e depois cem cemcem)

mas roubaram-lhe noventa e nove.

A escola e a cultura

lhe separam a cabeça do corpo.

Dizem-lhe:

de pensar sem as mãos

de fazer sem a cabeça

de escutar e de não falar

de compreender sem alegrias

de amar e maravilhar-se

só na Páscoa e no Natal.

Dizem-lhe:

de descobrir o mundo que já existe

e de cem roubaram-lhe noventa e nove.

Que o jogo e o trabalho

a realidade e a fantasia

a ciência e a imaginação

o céu e a terra a razão

e o sonho

são coisas (expressão de linguagens)

que não estão juntas.

 

Dizem-lhe:

Que as cem não existem

A criança diz:

ao contrário, as cem existem.

 

LorisMalaguzzi

 

1 INTRODUÇÃO

 

1.1Identificação

 

1.1.1 Nome da Instituição

Centro Municipal de Educação Infantil Jardim Gabineto

 

1.1.2 Endereço completo

Rua Padre Francisco Chylaszek, nº 283

 

1.1.3 CNPJ 03.214.887/0001 – 09

 

1.1.4 Telefone - E-mail

 

cmeijdgabineto@sme.curitiba.pr.gov.br

3373 0471

 

1.1.5 Diretor(a)

Juliana Casagrande Logarini

 

 

1.2Caracterização da instituição

 

Diante de relatos de antigos funcionários e moradores da região, a creche do Gabineto, como chamado antigamente, iniciou suas atividades de forma voluntária para atender as famílias que estavam chegando ao bairro.

Em 01 junho de 1992, a unidade foi oficializada tendo como mantenedora a Prefeitura Municipal de Curitiba e Ligia Mara do Pilar Alves Savarin de Almeida como primeira diretora. Funcionava no antigo endereço: Rua Paulo Warkocz, nº 1980, recebeu como primeira denominação Creche Municipal Jardim Gabineto. Nesse período a creche atendia crianças de cinco e seis anos compondo duas turmas de pré-escola.

No decorrer dos anos houve crescente procura por vagas, por ter ocorrido um aumento considerável da população do bairro.

O prédio que hoje abriga o CMEI foi construído pelo programa Vale Creche, em 18 de agosto de 1999. A instituição era mantida pelo projeto Pró Cidadania da Fundação de Ação Social e pela instituição filantrópica Vila Romana. Eram atendidas 150 crianças, havia poucos funcionários.

Em maio do ano de 2000 o CMEI mudou-se para a Rua Padre Francisco Chylaszek nº 261, antiga creche comunitária Vila Romana, em 2001, a Creche recebeu a denominação de Centro Municipal de Educação Infantil Jardim Gabineto, pelo Decreto nº 55 de julho de 2001. No ano2015, a numeração do endereço foi alterada para o nº 283.

As organizações pedagógicas eram feitas pelo Departamento de Educação Infantil da SMC (Secretaria Municipal da Criança). A partir do ano de 2003, a Secretaria Municipal da Criança foi extinta e o CMEI passou a ser de responsabilidade da Secretaria Municipal da Educação – Decreto nº 374 de 14 de abril de 2003, cujo acompanhamento pedagógico passa a ser realizado por um pedagogo atuando quatro horas no período da manhã.

Em 2008, passou por ampliação, sendo inaugurada em maio, pelo prefeito Carlos Alberto Richa.

Atualmente oCMEIJardim Gabineto atende 154 crianças de zero a cinco anos de idade com horário de atendimento das 7h às 18h.

 

 

1.3 Caracterização da clientela e da comunidade em que está situada a instituição

 

Para que o trabalho desenvolvido no CMEI acolha a diversidade cultural das crianças, sempre procuramos conhecer a comunidade para respeitar e integrar as famílias a fim de que tenham segurança nos profissionais que atuam e ampliação dos saberes locais.

A comunidade local atendida pelo Centro Municipal de Educação Infantil Jardim Gabineto é bastante diversificada. O CMEI está localizado no bairro Cidade Industrial muito próximo ao bairro Campo Comprido, entre o Terminal do Campo Comprido e o Cemitério Paroquial de Órleans e Escola Estadual Santo Antônio. Ao lado do CMEI está localizada a Unidade de Educação Integral da Escola Municipal Anita Merhy Gaertner.  Nos arredores tem uma academia ao ar livre, uma cancha de areia e campo de futebol para uso da comunidade.Nas suas proximidades existe um comércio diversificado com mercados, lojas, casas de materiais de construção, restaurantes, farmácias, lotérica, bancos, entre outros.

 Atualmente, a região conta com uma Universidade com Teatro, um IFPR - Instituto Federal do Paraná e Hospital Veterinário. Ambos trouxeram valorização e progressos para a região e em decorrência disso a construção de vários prédios comerciais e residenciais.

Muitas famílias residem já há muito tempo no bairro e contam que os filhos hoje já adultos frequentaram o CMEI. Outras famílias procuram atendimento no CMEI devido à narrativa de conhecidos quanto ao bom trabalho desenvolvido em prol das crianças.

 

1.3.1 Condições socioeconômicas, culturais

 

Após pesquisa realizada neste ano, verificamos que as condições socioeconômicas das famílias atendidas no Centro Municipal de Educação Infantil Jardim Gabineto é bastante diversificada. Uma grande maioria possui renda de um a dois salários mínimos, outras mais de dois salários mínimos. E ainda, uma minoria com a renda de mais que cinco salários mínimos.

A maioria das famílias tem em casa aparelho de televisão, geladeira, computador, acesso a internet, sendo que mais da metade possuem carro próprio.

O meio de locomoção dessas famílias até o CMEI é variado. Por algumas famílias residirem próximo ao CMEI chegam até ele a pé ou de bicicleta. Outras utilizam o ônibus (transporte coletivo), alguns se utilizam do serviço de transporte escolar privado e grande parte chega ao CMEI de carro próprio.

O status econômico da maioria das famílias atendidas pelo CMEI enquadra-se na classe C, e é no setor terciário que as famílias desenvolvem suas atividades. As principais ocupações de trabalho das mães são: operadora de caixa, manicure/pedicure, diarista/doméstica, auxiliar de serviços gerais, auxiliar administrativo, vendedora, balconista, saladeira,esteticista, artesã, professora, advogada. As principais ocupações e profissões dos pais são: motorista, porteiro, repositor, polidor de veículo, açougueiro, microempresário, empresário, técnico em refrigeração, mecânico, serralheiro, metalúrgico, taxista, engenheiro.  A grande maioria possui registros em carteira, mas, muitos são autônomos, uma minoria trabalha no funcionalismo público.

O grau de escolaridade das mães varia do ensino fundamental ao superior, sendo que o ensino fundamental e médio se iguala e algumas possuem o ensino superior. Para os pais a maioria tem ensino médio e alguns o ensino superior.

O tipo de moradia das famílias predominante é casa própria. Alguns moram em apartamento e sobrado. Outras moram de aluguel ou em moradia cedida.

A maioria das famílias é composta pelo pai, mãe e filhos. Também têm famílias formadas pela mãe, filhos, avós e parentes. Como também famílias de apenas mãe e filho (s). O total de pessoas na família varia de três a sete pessoas.

As atividades de lazer que as famílias costumam realizar são na grande maioria passeio em parques, cinemas e shopping. Portanto, nota-se que as famílias não possuem o hábito de frequentar museus, teatro ou de realizar viagens turísticas. Verifica-se então, a necessidade de intervenção da comunidade escolar e ações pedagógicas para ampliar o repertório cultural dessas famílias.

 

 

1.4 ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO

 

 

O espaço físico do Centro Municipal de Educação Infantil Jardim Gabineto está organizado para atendimento das crianças em seissalasde referência:

-uma sala de berçário único que atende crianças de zero meses a um ano e seis meses com capacidade para 18 crianças;

- duas salas de maternal I sendo denominadas MIA e MIB, que atende crianças de um ano e sete meses a dois anos e quatro meses, com capacidade de vinte e duas crianças cada sala;

- uma sala para maternal II com crianças de dois anos e cincos meses a três anos e sete meses, com capacidade para vinte e seis crianças;

- uma sala de pré I, que atende crianças de três anos e cinco meses a quatro anos e sete meses, com capacidade para trinta e duas crianças;

- uma sala de pré II, que atende crianças de quatro anos a cinco anos e onze meses, com capacidade para trinta e duas crianças.

            Nas salas de referência estão à disposição brinquedos diversificados de acordo com a faixa etária. Todas possuem ventiladores, inacessíveis as crianças; dispondo de ventilação natural através de uma parede inteira de janelas. São de cores claras, agradáveis. 

As salas são complementadas por banheiros com um trocador que é utilizado pelo berçário único e maternal IA, um trocador para o maternal IB e maternal II.Para as demais salas há banheiros nos corredores, para meninos e meninas, com sanitários adequados ao tamanho das crianças. Três banheiros, sendo um feminino, um masculino e um de funcionários, uma sala da direção/secretaria e uma sala de permanência.

Há um lactário onde é preparada a alimentação do berçário, uma cozinha equipada que é utilizada para lavar a louça e distribuir a alimentação, sendo utilizada pela empresa terceirizada Den Jud.

Uma sala arejada destinada para a amamentação denominada Mama Nenê, para que as mães possam amamentar seu filho com tranquilidade, sendo extensão da sala do berçário. Possui duas poltronas confortáveis, uma mesa de apoio com jarra de água e álcool gel, para uso da lactante que é orientada pela lactarista sobre a amamentação, além das informações que são transmitidas no ato da matrícula e expostas em cartazes neste ambiente.

Um almoxarifado para material pedagógico.

Uma lavanderia equipada para higienização das roupas, brinquedos e materiais das crianças.

Dois refeitórios: um para as crianças, arejado, decorado, contendo dezesseis mesas com quatro lugares, comportando sessenta e quatro crianças, uma mesa grande e baixa para o bufet, que permite a autonomia para servimento, além do uso para refeições é utilizado para o desenvolvimento de atividades diversificadas com as crianças e reuniões com as famílias. Um para os funcionários contendo:ummicroondas, uma geladeira, uma pia, armários, mesa, bancos com almofadas e um ventilador, este é utilizado para professores e funcionários que almoçam na unidade.

As turmas de berçário único, maternal I e maternal II têm solários, parte anexa à sala na parte externa, espaço entendido como extensão da sala, para realização de propostas.

O hall de entrada e o corredor são espaços de circulação, onde ocorre a acolhida às crianças e familiares. Há exposição de atividades e cardápio mensal. É espaço para interação das crianças e suas famílias com brincadeiras e disposição de brinquedos, painéis de fotos e espelhos baixos.

O CMEI Jardim Gabineto tem um espaço externo com casinhas, parque de areia, pracinha, calçadas, gramado ehorta cultivada semanalmente pelas turmas de maternal e pré. É utilizado diariamente pelas crianças, através de brincadeiras direcionadas e livres.

 

 

 

 

 

1.4.1 Instalações e equipamentos

 

 

Os recursos tecnológicos do CMEI são: uma TV de 29 polegadas, sete aparelhos de rádios portáteis, uma caixa amplificadora de som, uma máquina fotográfica, uma máquina filmadora, quatro computadores, um computador para a sala do pré(KIDSMART), quinze tablets,uma impressora, um data show, dois aparelhos telefônicos.

As salas de referências estão supridas com brinquedos e livros adequados a faixa etária, sendo organizados cantos de atividades diversificados.

 

1.4.2 Acessibilidade

 

 

Através da inclusão há socialização e ampliação das possibilidades de aprendizagem; sendo o espaço do CMEI, ambiente propício para isso.Adequamos as atividades e materiais para as crianças com necessidades especiais, porém ainda não foram realizadas as obras de acessibilidade como: rampas, banheiro especial entre outros.

 

 

1.5 CARACTERIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA INSTITUIÇÃO

 

Os profissionais são capacitados em Magistério, Nível superior Pedagogia, Pós Graduação entre outros.

A equipe de funcionários que atuam neste CMEI é composta por: 21 professoras de educação infantil, uma professora, uma pedagoga, uma diretora e um agente administrativo. Compõem a equipe do CMEI profissionais para alimentação e limpeza, das empresas terceirizadas; alimentação: DenJud, conta com duas merendeiras e uma lactarista e para limpeza Tecnolimp: três funcionárias de serviços gerais.

 

Juliana Casagrande Logarini

110992

Diretora

Pós-Graduação

EvelizeSchueda Menezes

39870

Pedagoga

Pós-Graduação

Cláudia Casagrande Trink

161364

Agente Administrativo

Superior Pedagogia

Andréa Ferreira

176631

Professora Ed. Infantil

Ensino médio magistério

Bárbara Gleice Morais

146037

Professora Ed. Infantil

Pós-Graduação

Caroline Leite Ferraz

159765

Professora Ed. Infantil

Pós-Graduação

Carmelina Lagos Zanirato

140209

Professora Ed. Infantil

Superior Pedagogia

Catiucia Borges Alia

163121

Professora Ed. Infantil

Superior Pedagogia

Dulcineia Aparecida Ribeiro

178838

Professora Ed. Infantil

Superior Pedagogia

Elaine Carla Sant Ana

71587

Professora

Pós-Graduação

Elena Domingos dos Santos

175845

Professora Ed. Infantil

Pós-Graduação

Eunice Maria Eduardo Sikorski

33412

Professora Ed. Infantil

Superior Ciências Físicas

Fabiola Francisca dos Santos

176687

Professora Ed. Infantil

Ensino médio magistério

Giseli Cristina Chaves

154644

Professora Ed. Infantil

Superior Pedagogia

Isabel Cristina dos Santos da Silva

146895

Professora Ed. Infantil

Superior Pedagogia

Jakeline Bernardes Borel

179919

Professora Ed. Infantil

Ensino médio magistério

LisabeteMachaki Guerra

175740

Professora Ed. Infantil

Superior Pedagogia

Maira Lucia Lemes Filipin Soares

179927

Professora Ed. Infantil

Superior Pedagogia

Margarete RolnicChede

39603

Professora Ed. Infantil

Superior Ciências Econômicas

Neide Bregagnoli Bueno

179943

Professora Ed. Infantil

Superior Pedagogia

Regina Odete Kirsten

43291

Professora Ed. Infantil

Pós-Graduação

Sandra de Fátima Falarz

163201

Professora Ed. Infantil

Pós-Graduação

Sônia Maria AmalioVirgulino

99559

Professora Ed. Infantil

Ensino médio magistério

Vanessa Kelly dos Santos

176772

Professora Ed. Infantil

Superior Pedagogia

Vanessa Marcon Mendes

163825

Professora Ed. Infantil

Superior

 

 

Empresa Alimentação

Inês M. Venâncio

 

Lactarista

Ensino Fundamental

Loreane da Silva de Andrade

 

Merendeira

Ensino Fundamental Inc.

Elba Cristina de . P. C. do Vale

 

Merendeira

Superior Econômia

 

Empresa Limpeza

Janaina Pámela F. da Silva

 

Tecnolimp

Ensino Fundamental

Marineide Maria da Silva

 

Tecnolimp

Ensino Fundamental Inc.

Veranice Alves da Silva

 

Tecnolimp

Ensino Fundamental

 

 

No ano de 2014, a Lei Municipal 14580, garante a conquista por parte das educadoras no reconhecimento como professoras da educação infantil e valorização profissional com a aprovação de um novo plano de carreira.

 

1.6 PLANO DE FORMAÇÃO CONTINUADA

 

Num mundo em constante evolução, cabe aos profissionais estarem atentos às pesquisas, estudos e inovações que possibilitem a melhoria de seu trabalho. Nesta perspectiva e atendendo o artigo 62, inciso 1º da Lei nº 9.394/96, que diz que “a União, o Distrito Federal, os Estados e os Municípios, em regime de colaboração, deverão promover a formação inicial, a continuada e a capacitação dos profissionais de magistério” (BRASIL, 1996, site), a Secretaria Municipal da Educação de Curitiba disponibiliza cursos de cargas horárias diversas no decorrer do ano letivo.

Anualmente ocorre a Semana de Estudos Pedagógicos, prevista em calendário, com palestras aos profissionais e uma organização de estudo e planejamento durante esta semana. Ao longo do ano, em uma data agendada pelo CMEI, há realização de uma palestra na unidade, conforme a necessidade temática da equipe.

Semanalmente ocorre a permanência, com horário de oito horas, destinadas a estudos, planejamento e organização do trabalho pedagógico.

A equipe pedagógica do CMEI participa da formação continuada realizada pelo Departamento de Educação Infantil, no Núcleo Regional da Educação (NRE), mensalmente.

O CMEI recebe mensalmente a supervisão da pedagoga do NRE para acompanhamento e assessoramento do trabalho.

A Secretaria Municipal de Educação oferta cursos aos profissionais da rede durante todo o ano letivo, com diferentes temáticas.

 

2 OFERTA DA INSTITUIÇÃO

 

O Centro Municipal de Educação Infantil oferta 154 vagas para crianças da comunidade compostas da seguinte forma: CRECHE – faixa etária de três mesesà três anos.  PRÉ-ESCOLA – quatro a cinco anos. Disposta a seguir:

TURMA

IDADE

NÚMERO DE PROFESSORAS

BERÇÁRIO ÚNICO

Três meses a um ano e seis meses

03 (Três)

MATERNAL I

Um ano e cinco meses a dois anos e quatro meses

03 (Três)

MATERNAL II A

Dois anos e cinco meses a três anos e sete meses

03 (Três)

MATERNAL II B

Dois anos e cinco meses a três anos e sete meses

03 (Três)

PRÉ I

Quatro anos a cinco anos

02 (Duas) de educação infantil e 01 (Uma) professora de quatro horas

PRÉ II

Cinco anos a cinco anos e onze meses

02 (Duas)

 

O ensalamento das crianças se dá preferencialmente de acordo com a idade cronológica e respeitando o seu nível de desenvolvimento, conforme o que determina a Deliberação CME Curitiba - nº 02/2012.

 

3 REGIME DE FUNCIONAMENTO

 

3.1 PERÍODOS

 

O CMEIJardim Gabineto atende crianças em tempo integral. No horário das sete horas às dezoito horas.

 

 

3.2 DIAS LETIVOS E CARGA HORÁRIA ANUAL

 

O CMEIJardim Gabineto atende o calendário anexo, o qual prevê duzentos dias de atividades com as crianças e duzentos e dez dias para professoras.De acordo com a Lei Federal nº 12.796/13, o referido calendário, discutido e aprovado pelo Conselho do CMEI, prevê uma carga horária mínima de 800 horas de atendimento às crianças.

 

 

3.3 FREQUÊNCIA

 

A frequência na educação infantil será verificada como recurso para acompanhar o desenvolvimento da criança e o estabelecimento de vínculo com a instituição, visando ao seu bem estar e segurança.  De acordo com o Regimento do CMEI Jardim Gabineto, o Conselho do CMEI deverá definir normas e procedimentos que a unidade adotará para reintegrar crianças com faltas não justificadas considerando o máximo de dez faltas consecutivas e vinte faltas alternadas num período de sessenta dias de atividade. Para o pré-escolar é exigido mínimo de 60% de comparecimentoconforme Lei Federal nº 12.796/13. As famílias são informadas no ato da matrícula sobre a frequência necessária, o responsável assina termo de ciência. Quando há faltas constantes de determinada criança a equipe pedagógica administrativa entra em contato com a família para reinserção da mesma.

 

3.4 ORGANIZAÇÃO DE GRUPOS E RELAÇÃO PROFESSOR/CRIANÇA

 

Para organização de grupos,dispõe-se os profissionais, levando em consideração a idade cronológica das crianças, respeitando o seu nível de desenvolvimento, conforme o que determina a Deliberação CME Curitiba - nº 02/2012.

 

CRECHE:

- Berçário: 18 crianças com três professoras da educação infantil

- Maternal I A: 22 crianças com três professoras da educação infantil

- Maternal I B: 22 crianças com três professoras da educação infantil

- Maternal II: 26 crianças com três professoras da educação infantil

 

PRÉ-ESCOLA:

- Maternal III: 32 crianças com duas professoras da educação infantil e uma professora

- Pré: 32 crianças com duas professoras da educação infantil

 

 

4 PRINCÍPIOS FILOSÓFICOS E EDUCACIONAIS

 

 4.1 FINS E OBJETIVOS

 

4.1.1Da Educação Infantil

 

 

A educação infantil atende crianças na primeira fase da infância, considerando que ela tem seus saberes e está inserida em um meio social e mais especificamente em uma família que tem a sua bagagem cultural; cientes disto os profissionais devem conduzir o trabalho pedagógico no intuito de contribuir para a formação integral da criança.

Segundo o Parecer CNE/CEB Nº:20/2009, p.06, quanto a função da educação infantil:

Significa, finalmente, considerar as creches e pré-escolas na produção de novas formas de sociabilidade e de subjetividades comprometidas com a democracia e a cidadania, com a dignidade da pessoa humana, com o reconhecimento da necessidade de defesa do meio ambiente e com o rompimento de relações de dominação etária, socioeconômica, étnico-racial, de gênero, regional, linguística e religiosa que ainda marcam nossa sociedade.

 

O reconhecimento da importância deste atendimento vem se consolidando desde a Constituição de 1988, tendo apontamentos específicos na Lei de Diretrizes e Bases da Educação de 1996, como a primeira etapa da educação básica, ficando à competência dos municípios o estabelecimento de sistema próprio para organizar e manter as suas instituições oficiais.

A educação infantil possui duas dimensões a de cuidar e de educar que devem ser consideradas se adequando a cada faixa etária.

As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (2010) apresentam os seguintes princípios:

 

Éticos: da autonomia, da responsabilidade, da solidariedade e do respeito ao bem comum, ao meio ambiente e às diferentes culturas, identidades e singularidades.

Políticos: dos direitos de cidadania, do exercício da criticidade e do respeito à ordem democrática.

Estéticos: da sensibilidade, da criatividade, da ludicidade e da liberdade de expressão nas diferentes manifestações artísticas e culturais.

 

A educação infantil deve ser o espaço onde a criança tem acesso a conhecimentos formadores e a oportunidades que lhe permita brincar, vivenciar, imaginar, socializar para o desenvolvimento da aprendizagem.

 

 4.1.2 Da Instituição

 

O CMEIJardim Gabineto busca desenvolver as atividades pedagógicas e de cuidado, visando o bem estar da criança em seus aspectos físico, cognitivo, afetivo, social, tendo como objetivo principal a formação integral, conforme o que cita a página 10, doPARECER CNE/CEB Nº: 20/2009: “As instituições de Educação Infantil devem assegurar a educação em sua integralidade, entendendo o cuidado como algo indissociável ao processo educativo.”

O trabalho se dá em complementação da ação da família e da comunidade, isto significa considerar a criança integralmente na construção da sua compreensão de mundo, partindo de uma ação pedagógica planejada, intencional, necessária, respeitando sua infância. Os envolvidos na educação das crianças devem estar abertos a busca de novas vivências quando da elaboração de seus planejamentos.

Segundo Barbosa,

 

Refletir sobre o modo de realizar a formação de crianças pequenas em espaços públicos de educação coletiva significa repensar quais as concepções a defender em um estabelecimento educacional. Ao mesmo tempo, impõe considerar quais são suas funções, de que maneira pode organizar seus modelos de gestão e sua proposta pedagógica, assim como instiga a se deter em qual será seu currículo, tendo em vista a perspectiva de um longo processo de escolarização.(Práticas Cotidianas na educação Infantil, p. 08)

 

Portanto, o CMEI procura organizar o espaço/tempo considerando os cuidados com a segurança, conforto e proteção da criança, envolvendo o cuidar e educar em um tempo de infância a ser vivido.Através de vivências com brinquedos disponibilizados para que as crianças se expressem, refletindo seus sentimentos e atitudes observadas pelo convívio familiar. As fantasias, permitem que se imaginem em diversos personagens com brincadeiras de imitação.

A rotina é organizada visando o acolhimento, desenvolvimento integral e bem estar da criança para que ela se sinta segura, atuante, feliz no tempo em que estiver na unidade.

           

 

 4.1.3 Da Gestão do CMEI

 

A organização e a gestão do CMEI Jardim Gabineto, se dá para as questões pedagógicas e administrativas e também para a prática que os professores desenvolvem com as crianças no trabalho cotidiano de cuidar delas e educá-las.

A gestão democrática se efetiva quando há consulta aos profissionais e comunidade nas tomadas de decisões, através de reuniões com professores, pedagoga, agente administrativo, Conselho do CMEI, APPF (Associação de Pais Professores e Funcionários) e as famílias.

O gerenciamento de recursos financeiros é compartilhado entre a APPF e Conselho de CMEI, onde participam de decisões relativas ao trabalho desenvolvido, permitindo assim, a parceria entre as famílias e a equipe de profissionais, realiza-se por este meio o Plano de Aplicação bimestral, conforme as necessidades e recursos repassados a instituição.

As famílias e profissionais do CMEI participam anualmente de avaliação do trabalho efetivado nesta unidade, através dos Parâmetros de Indicadores de Qualidade que apontam para quais ações de intervenção quanto a manutenção ou melhorias da qualidade como um todo, são necessárias.

Através dos resultados apontados a gestora realiza análise com a equipe pedagógica e administrativa e assim é desenvolvido o Plano de Ação para o período letivo, sendo aprovado pelo Conselho do CMEI, aprimorando o trabalho.

A efetivação do Projeto Político Pedagógico se concretiza no acompanhamento dos momentos de planejamento e execução das atividades propostas, aquisição de materiais pedagógicos e complementares e no incentivo para formação continuada.

 

4.2 CONCEPÇÃO PEDAGÓGICA

 

4.2.1 De criança

 

Ao longo do tempo a concepção de criança vem se construindo e se modificando, antes considerada como miniatura de adulto, hoje sujeito de direitos, com respeito a singularidades próprias da idade, sendo sua necessidade biológica, psicológica e social consideradae garantida por legislações específicas.

O Estatuto da Criança e do Adolescente – Lei Nº 8.069/90 considera criança a pessoa até doze anos de idade incompletos, e cita no Art. 3º que:

 

A criança e o adolescente gozam de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral de que trata esta Lei, assegurando-se-lhes, por lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, a fim de lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e de dignidade.

 

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional n° 9.394/96 menciona que a Educação Infantil ofertada em creches e pré-escolas e qualificada como primeira etapa da Educação Básica tem por finalidade o desenvolvimento integral da criança em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade.

Cabe ao trabalho pedagógico do CMEI, considerar que:

 

Cada criança apresenta um ritmo e uma forma própria de colocar-se nos relacionamentos e nas interações, de manifestar emoções e curiosidade, e elabora um modo próprio de agir nas diversas situações que vivencia desde o nascimento conforme experimenta sensações de desconforto ou de incerteza diante de aspectos novos que lhe geram necessidades e desejos, e lhe exigem novas respostas. Assim busca compreender o mundo e a si mesma, testando de alguma forma as significações que constrói, modificando-as continuamente em cada interação, seja com outro ser humano, seja com objetos. (PARECER CNE/CEB Nº: 20/2009P.07)

 

 

A prática do trabalho pedagógicose utiliza da literatura infantil para ampliar o repertório vocabular da criança, instigando sua imaginação, criatividade e o contato com outras culturas; a pintura, música, dança também estão presentes como manifestação da ação do ser humano sendo utilizados no cotidiano da unidade educativa, como reafirma a citação abaixo:

 

O conhecimento científico hoje disponível autoriza a visão de que desde o nascimentoa criança busca atribuir significado a sua experiência e nesse processo volta-se para conhecero mundo material e social, ampliando gradativamente o campo de sua curiosidade e inquietações,mediada pelas orientações, materiais, espaços e tempos que organizam as situações deaprendizagem e pelas explicações e significados a que ela tem acesso.(PARECER CNE/CEB Nº: 20/2009P.07)

 

 

A criança do CMEI Jardim Gabineto é única, no sentido que esta vivencia, experimenta, está inserida em um contexto próprio de família, de atendimento a cuidados e educação. É ativa, participativa, independente, sendo o centro de todas as ações pedagógicas e administrativas. É protagonista de sua história quando aqui se possibilita que explore, brinque, desenvolva autonomia, relacione-se com crianças de sua faixa etária e de outra, com adultos, para que através desta relação construa sua identidade e promova a construção de cultura. Isso se materializa quando vemos nossas crianças brincando com os brinquedos ou materiais propositalmente disponibilizados previsto em planejamento, ou com a espontaneidade que é própria desta fase.O desenvolvimento de projetos considera o conhecimento previamente adquirido para ampliar conteúdos e conceitos.

Barbosa nos diz que:

 

Além de promoverem sua formação através de suas interações,as crianças também produzem culturas. Tal afirmação implicacompreender que, brincando, são capazes de agirem incorporandoelementos do mundo no qual vivem. Através de suas ações lúdicas, desuas primeiras interações com e no mundo brincando consigo mesmase com seus pares, produzem outra forma cultural de estabelecerrelações sociais. Essas ações e interações, geralmente lúdicas, sãodenominadas de culturas infantis e são transmitidas através degerações de crianças.(Práticas Cotidianas na educação Infantil, p.24)

 

 

Como ser único, a interação dos profissionais com a família para conhecer a dinâmica de vida da criança é fundamental, pois isto permite entender o que é próprio da sua cultura. 

 

4.2.2De educar e cuidar

 

A criança é considerada por inteiro nas ações de cuidar e educar onde a proposição de experiências previstas no planejamento pedagógico, comunga com o que indica as Diretrizes Curriculares para a Educação Municipal de Curitiba:

 

Essas necessidades são expressas nas ações que envolvem: proteção e segurança, afeto e amizade, expressão de sentimentos, desenvolvimento da curiosidade, imaginação e capacidade de expressão; acesso a uma alimentação sadia, à higiene e à saúde; a possibilidade de movimento em espaços amplos e de contato com a natureza; a atenção individual, em especial durante processos de inserção nas instituições de Educação Infantil; acesso a ambientes educativos aconchegantes e desafiadores; o desenvolvimento da identidade cultural, racial e religiosa; a possibilidade de brincar como uma forma privilegiada de aprender e expressar conhecimentos sobre si, sobre a cultura e o mundo onde vive.(Volume 2 - Educação Infantil, p.22)

 

Além da dimensão afetiva e relacional do cuidado, é preciso que o (a) professor (a) possa ajudar a criança a identificar suas necessidades e priorizá-las, assim como atendê-las de forma adequada. Cuidar da criança é sobretudo dar atenção a ela como pessoa que está em crescimento e desenvolvimento, compreendendo sua singularidade, identificando e respondendo às suas necessidades.

 

Portanto, na organização intencional do trabalho de cuidar dessas crianças e de educá-las, os(as) professores(as) devem ter como perspectiva possibilitar que as crianças vivenciem experiências diversas, por meio das quais tragam e ampliem seus saberes e aprendam determinados conhecimentos, procedimentos e valores da cultura, adequando a prática pedagógica às necessidades específicas e às possibilidades de desenvolvimento e aprendizagem delas (SALLES, 2012, p. 69).

 

Neste CMEI, a prática de cuidar e educar estão imbricados, em todas as ações pode-se perceber a perspectiva de contribuiçãopara formação das crianças; seu bem-estar é garantido pelo acolhimento carinhoso com que as recebemos.

O Parecer do Conselho Nacional deEducação no 20/2009, entende que:

 

A dimensão do cuidado, no seu caráter ético, é assim orientada pela perspectiva de promoção da qualidade e sustentabilidade da vida e pelo princípio do direito e da proteção integral da criança. O cuidado, compreendido na sua dimensão necessariamente humana de lidar com questões de intimidade e afetividade, é característica não apenas da Educação Infantil, mas de todos os níveis de ensino. Na Educação Infantil, todavia, a especificidade da criança bem pequena, que necessita do professor até adquirir autonomia para cuidar de si, expõe de forma mais evidente a relação indissociável do educar e cuidar nesse contexto. A definição e o aperfeiçoamento dos modos como a instituição organiza essas atividades são parte integrante de sua proposta curricular e devem ser realizadas sem fragmentar ações.(p.10.)

 

 

As ações que este CMEI prevê no cuidar e educar acontecem durante todas as ações do cotidiano, acolhendo as crianças em suas necessidades, nas práticas pedagógicas quando planejam bons espaços, materiais e tempo adequado às crianças.

Quanto as ações de cuidar e educar nos momentos de alimentação, destacamos que:

- As professoras desta unidade incentivam as crianças que têm condições para se alimentarem com autonomia e adequadamente.

- No berçário o cardápio é variado de acordo com a necessidade nutricional de cada faixa etária, sendo a alimentação preparada no CMEI pela lactarista, a mesma acompanha e faz o servimento.

- Para as mães que ainda amamentam os bebês, recebem orientação no ato da matrícula e pela lactarista, capacitada. Há um espaço próprio na unidade onde as mães amamentam de forma segura, íntima e tranquila seu bebê.

- Se a mãe não tem condições para amamentar no tempo em que a criança está no CMEI, é encaminhada para a Unidade de Saúde, para ter orientações sobre como armazenaro leite materno a ser administrado ao bebê pelas profissionais.

- O CMEI adotou a prática do Café com cantos, a partir do Maternal I, as crianças recebem a primeira refeição em sua sala de referência, escolhendo a hora que deseja se alimentar, podendo brincar nos cantos de atividades diversidades diversificadas, enquanto não está se alimentando.

- As crianças a partir do Maternal I fazem suas refeições no refeitório. Esse ambiente é organizado com uma mesa para buffet, mesas com quatro cadeiras, toalhas para cada mesa, porta-guardanapo com guardanapos e porta talheres. O ambiente é decorado pelas professoras e crianças, sendo acolhedor e aconchegante. A partir do Maternal II, temos diariamente o ajudante do refeitório, onde são escolhidos através de sorteio pelas professoras, as crianças momentos antes da refeição, que vão até o local com toucas, luvas, e um avental para auxiliar na organização deste espaço. São acompanhados por uma professora e merendeiras.

- A turma do Pré II é incentivada pela professora a se servir sozinha e a utilizar os talheres, garfo e faca, adequadamente.

Quanto as questões relacionadas à higiene:

- As professoras são orientadas a cuidar da higiene de todas as crianças. Todas as salas têm um recipiente com álcool gel, espelho, papeleira com papel toalha, lixeira onde as crianças descartam os lencinhos usados, possibilitando assim uma maior autonomia das crianças.Nos banheiros está disponibilizado o papel higiênico. As crianças sempre são acompanhadas por uma professora quando precisam utilizar o banheiro.

- As salas têm lixeiras identificadas para a separação do lixo, as crianças recebem orientações frequentemente.

- Há canecas individuais para o consumo da água, sendo higienizadas pelas merendeiras do CMEI.

- A higiene bucal ocorre diariamente, uma vez ao dia. Nas turmas de Berçário após o almoço, é realizada a higiene conforme orientação das profissionais da Unidade de Saúde. A partir do Maternal I acontece a escovação, também uma vez ao dia, após o almoço, as crianças vão em grupo, acompanhadas pelas professoras. Cada criança tem seu próprio estojo com escova e creme dental. No decorrer do ano a Unidade de Saúde Jardim Gabineto faz a troca das escovas dentais, como também aplicação de flúor mensalmente.

- O banho acontece na turma do Berçário sempre que necessário e em alguns momentos são planejados os banhos pedagógicos. A partir do Maternal I, acontecem mediante necessidade da criança, visando seu bem estar.

 

 

4.2.3De desenvolvimento

 

O desenvolvimento do ser humano biologicamente inicia na gestação e tem no seu decorrer, influência de alguns fatores como qualidade da alimentação, sono, movimento, que vão proporcionar maior ou menor crescimento físico.

 

Isso significa dizer que, em função da extrema dependência motora, afetiva e cognitiva do ser humano, nessa etapa da vida, e da sua gradativa possibilidade de autonomia, é fundamental que na IEI se favoreça a apropriação de conhecimentos, valores, procedimentos e atitudes. Ao mesmo tempo, deve-se promover o bem-estar da criança, por meio do atendimento às suas necessidades básicas e relacionais, em um clima de afetividade. Dessa maneira, a instituição estará contribuindo para que a criança aprenda e se desenvolva, inserindo-se na cultura e transformando-a, em harmonia com a natureza. (FARIA, 2012, p. 69).

 

Assim, é possibilitado às crianças as mais variadas experiências, permitindo que possam interagir com pessoas e com o meio, construindo sua imagem corporal, percebendo suas características próprias e desenvolvendo sua autonomia.

 

É necessário ressaltar que uma importante marca desse período de vida das crianças é o desenvolvimento do pensamento verbal, que ocorre a partir de uma estreita relação entre linguagem e pensamento. Segundo Vygotsky, pensamento e linguagem têm origens diferentes, mas se inter-relacionam no momento em que o pensamento se torna verbal e a linguagem racional.(FARIA, 2012, p. 60).

 

Quanto mais se der oportunidade de contato com diversas linguagens e situações de interação com a cultura em que a criança está inserida, maiores serão as possibilidades de desenvolvimento cognitivo, afetivo e social. 

 

4.2.4 De aprendizagem

 

O desenvolvimento humano e a aprendizagem da criança estão interligados, desde o nascimento a criança é influenciada pelo meio em que está inserida. Do ambiente em que vive, das relações que vivencia com objetos e pessoas, da alimentação, do cuidado e afeto, depende a forma como se dará a sua formação.

Segundo as Diretrizes Curriculares para a Educação Municipal de Curitiba (Vol. 2) a dinâmica da aquisição da experiência cultural possibilita a compreensão de que tudo está em correlação, não há cisão de elementos de maior ou menor importância no desenvolvimento ou na aquisição de aprendizagens.

A criança tem uma maneira própria de se relacionar com o mundo a sua volta, ela ao interagir amplia sua experiência de aprendizagem.

O Parecer do Conselho Nacional deEducação no 20/2009, diz que:

 

Intencionalmente planejadas e permanentemente avaliadas, as práticas que estruturam o cotidiano das instituições de Educação Infantil devem considerar a integralidade e indivisibilidade das dimensões expressivo-motora, afetiva, cognitiva, linguística, ética, estética e sociocultural das crianças, apontar as experiências de aprendizagem que se espera promover junto às crianças e efetivar-se por meio de modalidades que assegurem as metas educacionais de seu projeto pedagógico.(P.06)

 

Sendo assim, o planejamento e a organização do trabalho pedagógico no CMEI e o brincar, devem levar em consideração a especificidade da criança da Educação Infantil; que aprendizagens podem ser efetivadas neste período de desenvolvimento, respeitando sua faixa etária, ritmo de aprendizagem e direitos da infância.

 

4.3 INCLUSÃO

 

Cada criança tem suas necessidades e potencialidades, cabendo ao ambiente educacional oferecer subsídios e suportes necessários a aprendizagem individual. Nesta perspectiva é a diversidade de crianças que deve ser considerada na atuação dos profissionais com a participação da família e comunidade.

 

As crianças, independentemente de suas condições físicas, sensoriais, cognitivas ou emocionais, têm as mesmas necessidades básicas de afeto, cuidado e proteção; os mesmos desejos e sentimentos das outras crianças. Elas têm a possibilidade de conviver, interagir, trocar, aprender, brincar e ser felizes, embora, algumas vezes, de forma diferente. É importante ressaltar que a inclusão de crianças com deficiência nos espaços educacionais não depende do grau da deficiência ou do nível de desempenho intelectual, mas sim das possibilidades de interação, socialização e adaptação ao grupo e ao espaço comum das unidades que ofertam educação infantil. E esse é o maior desafio que as unidades hoje enfrentam: promover a adaptação considerando o direito de todas as crianças a aprender e a conviver com os demais, respeitando a diversidade de preferências, interesses, necessidades e níveis de desempenho físico e intelectual(CADERNO PEDAGÓGICO PRÁTICAS INCLUSIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL CADERNOS PEDAGÓGICOS DE EDUCAÇÃO INFANTIL 2 CURITIBA – PARANÁ 2009).

 

As adaptações são necessárias para o acolhimento, conforto e estratégias de trabalho, no intuito de desenvolver as potencialidades conforme cada criança. A acessibilidade, prevista em lei, deve ser disposta para possibilitar autonomia. 

A Constituição Brasileira de 1988, garante o acesso ao ensino fundamental regular a todas as crianças e adolescentes, sem exceção, e deixa claro que a criança com necessidade educacional especial deve receber atendimento especializado complementar, de preferência dentro da unidade educativa. A inclusão ganhou reforços com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996), onde o capítulo V diz:

 

Art. 58. Entende-se por educação especial, para os efeitos desta Lei, a modalidade de educação escolar, oferecida preferencialmente na rede regular de ensino, para educandos portadores de necessidades especiais.

 

§ 3º A oferta de educação especial, dever constitucional do Estado, tem início na faixa etária de zero a seis anos, durante a educação infantil.

 

Através da declaração de Salamanca em que se evidencia que a instituição de educação deve focar todas as diferenças e não apenas as oriundas de deficiências, mas sim acolher todas as crianças independentes de suas condições físicas, intelectuais, sociais, emocionais, linguísticas ou outras. Já a convenção da Guatemala reafirma os direitos humanos e as liberdades fundamentais de pessoas com deficiências, sobretudo o direito de não serem submetidas a discriminação com base na sua deficiência.

O CMEI atende o disposto naLei Federal Nº 7.853/89, respeita e garante a matrícula de crianças com necessidades especiais no ambiente educacional, mostrando-se favorável a política de inclusão.

Quando a criança ingressa na unidade, se a família relata a situação de necessidade especial, é verificado se esta faz os atendimentos necessários e o acompanhamento ocorre durante o ano letivo. Caso as professoras detectem, através dos sinais de alerta, é realizada entrevista com a família e encaminhamento médico para avaliação. Se confirmada a necessidade especial é também realizado acompanhamento.

As criançassão inseridas no cadastro da Coordenadoria de Atendimento as necessidades Especiais (CANE),que designa profissional do Núcleo Regional da Educação, que faz visitas periódicas no CMEI, fazendo acompanhamento e sugestões para adaptação do trabalho pedagógico.

É papel dos professores estar atentos a cada necessidade, observar as potencialidades, incentivar a superação de dificuldades,adequar o planejamento, participar e partilhar com as famílias do processo, interagir para possibilitar a efetivação da aprendizagem.

 

4.4 ARTICULAÇÃO DA INSTITUIÇÃO COM O ENSINO FUNDAMENTAL

 

O trabalho na educação infantil assegura rotinas e procedimentos distintos aos do ensino fundamental, não sendo seu propósito a preparação da criança para fases posteriores e sim o desenvolvimento integral desta.

O respeito às fases de desenvolvimento das crianças é condição de garantia de infância saudável, entendendo que se faz necessário continuidade no desenvolvimento e processo de aprendizagem,nós do CMEI Jardim Gabineto, para fazermos com que a inserção da criança no Ensino Fundamental ocorra de maneira tranquila, as crianças do pré II, acompanhados pelas professoras e equipe pedagógica, realizavisita a escola vizinha.

No início do ano letivo é marcada uma reunião entre as pedagogas da educação infantil e ensino fundamental das unidades para repasse de informações sobre as crianças e entrega de portfólio.

Também é realizado cadastro das crianças para que sejam matriculadas nas Escolas de Ensino Fundamental.

 

 

4.5 ARTICULAÇÃO DA INSTITUIÇÃO COM A FAMÍLIA

 

A parceria que se forma entre a família e a equipe de profissionais do CMEI Jardim Gabineto é fundamental para o bom atendimento às crianças visando seu desenvolvimento integral.

O CMEI realiza um trabalho de acolhimento das famílias desde a realização de cadastro da criança até a efetivação na matrícula.Primeiramente, ao realizar o cadastro, a família é convidada aconhecer as instalações da instituição.

O momento da realização da matrícula é importante, pois iniciam-se os primeiros vínculos entre CMEI e família. A matrícula é realizada em forma de entrevista, no qual é preenchido o Requerimento de Matrícula. Procura-se então estreitar laços, com informações sobre a família e sobre a criança que irá frequentar o CMEI. Realizada a matrícula se a família ainda não conhece a instituição, passa a conhecer, bem como é apresentada para as professoras de seu(a) filho (a). Para que ocorra a adaptação da criança de forma tranquila, esta passa por um período de acolhimento na instituição de forma gradativa, com a participação da família nos primeiros dias. 

O uso da agenda é um importante meio de comunicação entre as professoras e as famílias, sendo utilizada para o repasse de informações administrativas, mas principalmente para que haja ciência do que ocorre no cotidiano tanto familiar como da unidade.

No corredor há murais onde são expostas as fotos, projetos pedagógicos, cardápio, atividades das crianças para acompanhamento por parte das famílias, do dia a dia no CMEI.

Existem no planejamento anual momentos distintos para o desenvolvimento de integrações da família com o CMEI, sendo organizadas atividades lúdicas, de arte, palestras, mutirão, festas, entre outras, que estreitam os laços entre a comunidade atendida e os profissionais.

 

4.6 ARTICULAÇÃO DA INSTITUIÇÃO COM OUTROS SEGMENTOS DA SOCIEDADE NO ENCAMINHAMANTO DE QUESTÕES RELATIVAS À EDUCAÇÃO E AO CUIDADO COM A CRIANÇA

 

No CMEI há parceria com a Unidade de Saúde, sendo desenvolvido o Programa de saúde bucal, mensalmente envolvendo todas as crianças, bem como é ministrado medicamento para controle de verminose para as crianças da turma do pré, com autorização dos pais. A unidade está inserida na Rede de Proteção (que é formada por várias instâncias para cuidado e proteção da criança), que realiza reuniões mensais para acompanhamento dos casos notificados. Contamos sempre com o apoio da Secretaria de Defesa Social, através do Projeto Conhecer para Prevenir, bem como zelo ao patrimônio público e teatro da Guarda.

É disponibilizado à algumas universidades que realizem estágios no CMEI, a fim de aproximar teoria e prática.

Para o incentivo e implementação do programa Mama Nenê, o CMEI comunica no ato da matrícula sobre a importância do aleitamento materno, mostrando que dispõe de um espaço acolhedor com duas poltronas, mesa de apoio para que as mães possam amamentar seus bebês com tranquilidade.

 

5 PRINCÍPIOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS DA INSTITUIÇÃO

 

O CMEI Jardim Gabineto,no que diz respeito ao currículo da Educação Infantil,pautado no Parecer do Conselho Nacional deEducação no 20/2009, entende que:

...o currículo é umconjunto de práticas que buscam articular asexperiências e os saberes das crianças com osconhecimentos que fazem parte do patrimôniocultural, artístico, científico e tecnológico e,portanto, segue as diretrizes curriculares nacionais eas orientações curriculares para a educação infantildo município.(p.06)

 

            Para que o trabalho com as crianças possa ser repertoriado a fim de contribuir com a sua formação, o planejamento pedagógico, baseia-se nasDiretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil, 2010, p.17:

 

Oferecendo condições e recursos para que as crianças usufruam seus direitos civis, humanos e sociais;

Assumindo a responsabilidade de compartilhar e complementar a educação e cuidado das crianças com as famílias;

Possibilitando tanto a convivência entre crianças e entre adultos e crianças quanto à ampliação de saberes e conhecimentos de diferentes naturezas;

Promovendo a igualdade de oportunidades educacionais entre as crianças de diferentes classes sociais no que se refere ao acesso a bens culturais e às possibilidades de vivência da infância;

Construindo novas formas de sociabilidade e de subjetividade comprometidas com a ludicidade, a democracia, a sustentabilidade do planeta e com o rompimento de relações de dominação etária, socioeconômica, étnico-racial, de gênero, regional, linguística e religiosa.

 

A prática pedagógica considera o conhecimento que a criança possui, trazendo para o CMEI a sua cultura, ampliando e despertando o interesse por outros saberes.

 

5.1 METODOLOGIA DE TRABALHO

 

Concebendo a criança como ser histórico, social, produtora de saberes através da interação com objetos e pessoas é que se dá a metodologia de trabalho no CMEI. Considera-se com isso a importância do brincar, pois a criança exerce ação de protagonismo da construção de seu saber uma vez que dramatiza, organiza, cria,nas suas brincadeiras.

Segundo o Parecer do Conselho Nacional deEducação n0 20/2009:

 

No cumprimento dessa exigência, o planejamento curricular deve assegurar condições para a organização do tempo cotidiano das instituições de Educação Infantil de modo a equilibrar continuidade e inovação nas atividades, movimentação e concentração das crianças, momentos de segurança e momentos de desafio na participação das mesmas, e articular seus ritmos individuais, vivências pessoais e experiências coletivas com crianças e adultos. Também é preciso haver a estruturação de espaços que facilitem que as crianças interajam e construam sua cultura de pares, e favoreçam o contato com a diversidade de produtos culturais (livros de literatura, brinquedos, objetos e outros materiais), de manifestações artísticas e com elementos da natureza. Junto com isso, há necessidade de uma infra-estrutura e de formas de funcionamento da instituição que garantam ao espaço físico a adequada conservação, acessibilidade, estética, ventilação, insolação, luminosidade, acústica, higiene, segurança e dimensões em relação ao tamanho dos grupos e ao tipo de atividades realizadas. (P. 12 e 13)

 

 

Cabe à professora analisar o grupo de crianças com o qual irá trabalhar, elaborando o planejamento anual, baseado nas Diretrizes Curriculares Municipal de Curitiba para Educação Infantil, proporcionandopráticas desafiadoras
às crianças, por meio da organização do tempo didático, nasmodalidades organizativas: atividades permanentes, sequências didáticas, projetos didáticos e atividades ocasionais; tendo cada uma delas um propósito e uma especificidade de encaminhamento. Cantar, dançar, brincar, dramatizar, jogar, imitar, apreciar, pesquisar, explorar, são dinâmicas presentes no trabalho com a educação infantil.

O CMEI, tem como prática a escrita de planejamento e a elaboração do roteiro semanal, visando a organização do dia envolvendo a rotina da turma, as propostas do calendário, da roda da conversa, da leitura fruição, atividades programadas para espaço externo, sequência ou projeto didático e atividade permanente.

No decorrer do ano desenvolvemos o Projeto Mascote, após a exploração da roda de conversa a professora, juntamente com as crianças e famílias, confeccionam o mascote da turma; as famílias auxiliam com vestimenta e acessórios, no decorrer encaminhamos para casa uma sacola contendo o mascote, caderno de registros, onde a família faz o relato escrito e fotográfico de como foi o momento.

Semanalmente o CMEI tem como prática o envio da pasta de leitura em família, para propiciar momento de lazer, estreitamento de vínculo e aprendizagem. 

Diariamente, os cantos de atividades diversificadas, são espaços organizados pelas professoras para que as crianças tenham várias possibilidades de interação com objetos e com outras crianças, onde elas irão escolher o que querem fazer.

As crianças brincam, três vezes na semana, com crianças de outras turmas em diferentes espaços do CMEI, nomomento de Integração. O espaço é organizado pelas professoras e crianças com diferentes propostas de atividades e materiais que possibilitam escolha de brinquedos. A partir da observação das professoras e das contribuições das crianças as propostas são modificadas ou enriquecidas, possibilitando contextos para novas experiências e desafios.

 

5.2 AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

 

A avaliação na Educação Infantil não tem o caráter de promoção para etapas posteriores, e sim tem a finalidade de acompanhar e repensar o trabalho realizado; todos os esforços dos professores devem se dar para estruturação de condições que melhor contribuam para aprendizagem e desenvolvimento da criança, conforme determina a Resolução CNE/CEB nº 05/2009.

No CMEI Jardim Gabineto a avaliação das propostas edo desenvolvimento da criança é contínua, sendo entregue para as famílias semestralmente o parecer descritivo constando o relato das atividades desenvolvidas na turma e também individualmente.

Para o acompanhamento do desenvolvimento pedagógico da criança é organizado umportifólio individual, que contém fotografias, relatos, registro de atividades, participação da família, entre outros.Essa organização permite ao professor visualizar o seu avanço diante das diversas estratégias de trabalho propostas, sendo um processo que precisa ser planejado continuamente na busca de garantir um olhar contínuo sobre a aprendizagem.

Outra forma de registro é a pauta de observação,apoio de memória do professor, que permite o registro enriquecedor de momentos como roda de conversa, atividades diversificadas, momentos de integração, hora do conto, projeto, sequência didática, não permitindo que passe despercebido relatos importantes da criança que demonstram sua organização de pensamento, contribuindo para elaboração dos pareceres de avaliação.

A documentação dessas observações e outros dados sobre a criança devem acompanhá-la da Educação Infantil para o Ensino Fundamental, garantindo a continuidade dos processos educativos.

 

5.3 EDUCAÇÃO AMBIENTAL

 

A Educação Infantil parte inicial da educação básica da criança, há de considerar em seu trabalho pedagógico o que determina a Resolução CNE 05/09,artigo 9, inciso X - promovam a interação, o cuidado, a preservação e o conhecimento dabiodiversidade e da sustentabilidade da vida na Terra, assim como o não desperdício dos recursos naturais.

As crianças precisam ser educadas para terem consciência ecológica. É necessário o desenvolvimento de projetos para o trabalho com assuntos específicos, porém é fundamental que os profissionais tenham condutas que sirvam de exemplo para formação delas.

De acordo com a LEI No 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999, no seu Art. 2º: A educação ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não-formal.

Quando se trabalha com a sensibilização das crianças para o cuidado com o meio ambiente, entendendo que este é desde sua casa até as florestas e oceanos, forma-se disseminadores de conhecimento para a comunidade atendida e assim uma mudança de postura. 

 

Creches e pré-escolas são espaços privilegiados para aprender-ensinar porque lá as crianças colhem suas primeiras sensações, impressões, sentimentos do viver. Sendo assim, a dimensão ambiental não poderia estar ausente, ou a serviço da dimensão cultural, ambas deveriam estar absolutamente acopladas.(TIRIBA - P.2)

 

O CMEI Jardim Gabineto propõe às crianças ações de cuidado e respeito ao meio ambiente, através de práticas do dia-a-dia, conscientizando também as famílias da importância da reciclagem, do consumo consciente, evitando o desperdício, bem como do zelo que se deve ter com o entorno.

 

5.4EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICOS – RACIAIS

 

A Educação Infantil vem sendo respeitada e considerada como parte da educação básica, é nesta faseque se inicia o desenvolvimento dos valores humanos e princípios éticos para formação das crianças, vivenciando práticas que fortalecem laços de amizade e respeito, evitando atitudes discriminatórias.

A aprovação e a implementação da Lei 10.639 de 09/01/2003, dimensiona o estudo da África e cultura afro-brasileira no currículo escolar, tornando-o obrigatório na educação básica. Tendo iniciada amplas discussões sobre a identidade da cultura afro-brasileira, combatendo a discriminação racial no espaço escolar em seus diferentes níveis de ensino.                                                         

No trabalho pedagógico da educação infantil cabe valorizar a cultura de cada criança e planejar situações de conhecimento da cultura das famílias da comunidade, com roda de conversa ou visita as casas, é possível ampliar a visão das diversas formas de vida.

A educação das relações étnico-raciais tem por objetivo divulgar e produzir conhecimentos, atitudes, posturas e valores que enfatizem a pluralidade cultural, capacitando as crianças para interagir no sentido de respeitar as diferenças e valorizar as identidades.

Cabe à instituição contribuir para que princípios constitucionais de igualdade sejam valorizados, principalmente no que se refere às questões da diversidade cultural, é necessário que os professores aprofundem seus conhecimentos sobre essa temática visando oferecer à criança uma educação de qualidade.

O que podemos ver é a necessidade de se formar professores preparados para acolhera diversidade cultural em sala. Os profissionais que trabalham com a educação infantil devem se conscientizar que são formadores, não se trata de educar todas as crianças iguais, mas sim na diferença, ressaltando suas especificidades.

            Considerando a legislação vigente, o CMEI Jardim Gabineto inclui em suas práticas a valorização da cultura afrodescendente com aporte histórico da sua importância na construção da sociedade brasileira.

 

 

 

  1. AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

 

As famílias e profissionais do CMEI participam anualmente de avaliação do trabalho efetivado nesta unidade, através dos Parâmetros de Indicadores de Qualidade que apontam para quais ações de intervenção quanto a manutenção ou melhorias da qualidade como um todo, são necessárias.

Através dos resultados apontados a gestora realiza análise com a equipe pedagógica e administrativa e assim é desenvolvido o Plano de Ação para o período letivo, sendo aprovado pelo Conselho do CMEI, aprimorando o trabalho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BIBLIOGRAFIA

 

Referências Legais:

 

- Lei Federal Nº 12.796/13

- Lei Federal Nº 9.394/96

- Lei Federal Nº 8.069/90

- Lei Federal Nº 7.853/89

- Lei Federal Nº 9.795/99

- Resolução CNE/CEB Nº 07 de 14 de dezembro de 2010

-Resolução CNE/CEB Nº 05/09

- Parecer CNE/CEB Nº 20/09

- Resolução CNE/CEB Nº 03/05 de 03/08/05

- Resolução CNE/CEB Nº 02/01

- Resolução CNE/CEB Nº 01/04

- Parecer CNE/CEB 03/04

- Deliberação CEE/PR Nº 04/06

- Lei Estadual Nº 17505 - de 11/01/2013

- Lei Estadual Nº 17677 de 10/09/2013

- Decreto 9958 - 23 de Janeiro de 2014 - Regulamenta o Art. 7º, 8º e 9º da Lei nº. 17.505, de 11 de Janeiro de 2013, que institui a Política Estadual de Educação Ambiental.

- Deliberação CEE/PR Nº 16/99

- Deliberação CME Nº 02/2012

- Indicação CME/CGS nº 1/2012

- Recomendações Administrativas Nº 001/2010 – Ministério Público/PR – Disponível em: http://www.cidadedoconhecimento.org.br/cidadedoconhecimento/legislacao/arquivos/legislacao_178.pdf

- Recomendações Administrativas Nº 002/2010 – Ministério Público/PR – Disponível em: http://www.cidadedoconhecimento.org.br/cidadedoconhecimento/legislacao/arquivos/legislacao_179.pdf

 

Referências Teóricas:

 

BARBOSA, Maria Carmen Silveira. Práticas cotidianas na educação infantil – bases para reflexão sobre as orientações curriculares. Projeto de cooperação técnica MEC e UFRGS para construção de orientações curriculares para a educação infantil. MEC. Secretaria de Educação Básica Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Brasília, 2009.

 

BASSEDAS, Eulália Aprender e Ensinar na Educação Infantil,TeresaHuguet, Isabel Solé. Ed. Artmed.

 

 

CAVALHEIRO, Eliane. Do silêncio do lar ao silêncio escolar: Educação e Poder; racismo, preconceito e discriminação na Educação Infantil. São Paulo, Summus, 2000.

 

CURITIBA.Diretrizes Curriculares para a Educação Municipal de Curitiba,2010.

 

 

FARIA, Vitória Líbia Barreto de.Currículo na Educação Infantil: diálogo com os demais elementos da Proposta Pedagógica. 2.ed.[ver. e ampl.].  São Paulo: Ática, 2012.

 

FARIAS, AntonioCarlos de.Brincar para Aprender: A neurociência e a Psicopedagogia noProcesso de Aprendizagem et al. – Curitiba: Associação Hospitalar de à Infância Dr Raul Carneiro, 2015.  

 

FRIEDMANN, Adriana. O Brincar na Educação Infantil. 1.Ed. São Paulo: Moderna, 2012.

 

IDENTIDADE e Autonomia na Educação Infantil- Creche – 0 a 3 anos. Disponível em:<http//revistaescola.abril.com.br> Acesso em 25/08/2015.

 

LIMA, Heloisa Pires. Personagens Negros: Um breve Perfil na Literatura Infanto- Juvenil. In. Superando o Racismo na escola. 2º edição revisada. KABENGELE, Munanga (Org.). Alfabetização e diversidade. Brasília: MEC/SEC, 2005.

 

MEC – Secad. Caderno Temático da Diversidade. 2007.

 

MOURA, Glória. O Direito à Diferença. In. Superando o Racismo na escola. 2º edição revisada. KABENGELE, Munanga (Org.). Alfabetização e diversidade. Brasília: MEC/SEC, 2005.

 

OLIVEIRA, Zilma de Moraes; MELLO, Ana Maria; VITÓRIA, Telma; FERREIRA, Maria Clotilde Rossetti. Creches: Crianças, Faz de Conta & cia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

 

OLIVEIRA, Zilma Ramos de Educação Infantil: Fundamentos e Métodos. Ed. Cortez.

 

ORTIZ, Renato. Cultura Brasileira e Identidade Nacional. São Paulo, Brasiliense, 2003.

 

PEREIRA, Amauri Mendes. Escola - espaço privilegiado para a construção da cultura de consciência negra. In: ROMÃO, Jeruse (Org.) História da Educação do Negro e outras histórias. Brasília: MEC/SEC, 2005.

 

TIRIBA, Léa. Crianças, natureza e educação infantil. Tese de Doutorado, Departamento de Educação, PUC-Rio, 2005.

 

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ. Normas técnicas: elaboração e apresentação de trabalho acadêmico – científico. 3. ed. Curitiba:UTP, 2012.

 

 

 

 

 

Site:

 

Educação Ambiental para crianças. Disponível em <http//revistaescola.abril.com.br> Acesso em 25/08/2015.

 

 

http://www.palmares.gov.br/wp-content/uploads/2010/11/RELA%C3%87%C3%95ES-%C3%89TNICO-RACIAIS-NA-EDUCA%C3%87%C3%83O-INFANTIL.pdf